O que é arritmia cardíaca?

Se você tem arritmia cardíaca, isso significa que você tem frequência cardíaca anormal.

Frequência Cardíaca Normal
Frequência Cardíaca Irregular

O que é Fibrilação Atrial

Fibrilação Atrial é um tipo de arritmia cardíaca. É uma doença progressiva que afeta as câmaras superiores do coração, os átrios, que faz com que ocorra batimentos rápidos e desordenados, produzindo batimentos cardíacos anormais.

Frequência cardíaca normal

A frequência cardíaca normal varia entre 60-100 batimentos por minuto. Isso significa que o coração bate aproximadamente 100.000 vezes por dia!

Sua frequência cardíaca é controlada por impulsos elétricos que coordenam as contrações do coração. Esses impulsos elétricos começam no nó sinoatrial – também chamado de nó sinusal ou nó SA – e geralmente são estáveis e consistentes.

O coração é composto de duas câmaras superiores, chamadas de átrios, e duas câmaras inferiores, chamadas de ventrículos. Quando os átrios se contraem, sangue rico em oxigêneo flui do átrio esquerdo para o ventrículo esquerdo. Quando os ventrículos se contraem, sangue é bombeado do ventrículo esquerdo para fora do coração seguindo para o resto do corpo.

Frequência cardíaca irregular

Algumas vezes, o fluxo de impulsos elétricos não opera corretamente. O nó sinoatrial pode enviar sinais muito rapidamente ou pode enviar muitos sinais .

Em outros casos, os sinais podem reverberar dentro de uma das câmaras do coração ao invés de se movimentar em um padrão regular.

O resultado é batimento cardíaco acelerado e irregular. Esses ritmos anormais são chamados de arritmias.

Quando o coração bate erraticamente, ele não bombeia sangue de forma eficiente como deveria. Você pode se sentir mal ou experimentar outros sintomas de Fibrilação Atrial porque o oxigênio não está sendo devidamente entregue em todas as partes do seu corpo.

O que é Fibrilação Atrial?

Normal
Fibrilação Atrial

Fibrilação atrial é uma condição relativamente comum na qual as câmaras superiores do coração, os átrios, batem rapidamente e de maneira desordenada.

Esse batimento desordenado e rápido é o que causa fibrilação atrial. Ela afeta o fluxo sanguíneo, resultando em um pulso irregular e algumas vezes uma sensação de vibração no peito.

Fibrilação Atrial não é uma ameaça a vida por si só. Mas é importante que seja tratada, não só para controlar os sintomas, mas também porque fibrilação atrial pode ser responsável por até 20% de todos os derrames.1

Existem três principais classificações de fibrilação atrial. Essas classificações são baseadas na frequência dos episódios e o quão rápido terminam:
  • Fibrilação Atrial Paroxística (intermitente) - Fibrilação Atrial que termina espontaneamente ou com intervenção dentro de 7 dias do início. Episódios podem recorrer com frequência variável.
  • Fibrilação Atrial Persistente - Fibrilação Atrial contínua que se sustenta por mais de 7 dias.
  • Fibrilação Atrial Permanente - Fibrilação Atrial contínua com duração de mais de 12 meses.
  • Fibrilação Atrial Permanente – Fibrilação Atrial é definido como permantente quando há uma decisão conjunta entre o paciente e o médico de interromper tentativas de restaurar e/ou manter um ritmo sinusal.
    • Aceitação da fibrilação atrial representa uma atitude terapêutica por parte do paciente e do médico, ao invés de um atributos fisiopatológicos inerentes da fibrilação atrial.
    • Aceitação da fibrilação atrial pode se alterar de acordo com os sintomas, eficácia de intervenções terapêuticas e evolução das preferências do paciente e do médico.
  • Fibrilação Atrial Não Valvar - Fibrilação Atrial que ocorre na ausência de doença da valva mitral.

A boa notícia, é que avanços na medicina tornaram possíveis que a sua fibrilação atrial seja tratada efetivamente. Seu médico pode lhe explicar as opções de tratamento.

Se as medicações não forem eficazes para o controle da sua fibrilação atrial, procedimentos minimamente invasivos, como ablação por cateter, têm eficácia comprovada para FA Paroxística e pode ser usada para o tratamento de partes do coração que causam sua fibrilação atrial. Conheça mais sobre ablação por cateter »

1http://www.cdc.gov/dhdsp/data_statistics/fact_sheets/fs_atrial_fibrillation.htm

O que é Flutter Atrial?

Flutter Atrial é uma sensação de vibração desconfortável no peito. Ocorre quando um único sinal elétrico circula rapidamente em uma das câmaras do coração.

Quando ocorre Flutter Atrial?

Flutter Atrial pode ocorrer quando você tem uma doença cardíaca, ataque cardíaco ou trauma torácico. Apesar de não ameaçar a vida, deve ser controlada para previnir que tipos mais sérios de arritmia, como fibrilação atrial, se desenvolvam.

Como tratar Flutter Atrial?

A ablação por cateter é um tratamento para Flutter Atrial. Um eletrofisiologista, um cardiologista especializado no tratamento de arritmias, realiza esse procedimento minimamente invasivo. Ablação vem sendo extremamente bem sucedida em ajudar os pacientes a encontrar alívio de seus sintomas.

O que é Taquicardia Atrial?

Quando o batimento cardíaco anormal gera uma frequência cardíaca mais rápida que o normal, é chamado de taquicardia (A braquicardia é o batimento cardíaco mais lento que o normal).

Taquicardias têm nomes diferentes, dependendo da origem do sinal anormal. Taquicardia Ventricular tem início nos ventrículos, nas câmaras inferiores do coração. Taquicardia atrial tem início nas câmaras superiores do coração, acima dos ventrículos.

Quais são os tipos de Taquicardia Atrial?

Taquicardia Supraventricular (TSV), também referida como taquicardia atrial, é um nome comum para arritmias que tem início acima dos ventrículos. As vezes é chamada de Taquicardia Paroxistica Supraventricular (TPSV), porque ocorre intermitentemente, ou de tempos em tempos.

Taquicardia Atrioventricular Reentrante Nodal (TAVRN) é um ritmo irregular que surge a partir do mau funcionamento do nó atrioventricular.

Quando ocorre Taquicardia Atrial?

Taquicardias Atriais geralmente tem início e fim repentino. Um episódio pode durar desde segundos até horas. TSV pode fazer com que o coração bata entre 160-200 vezes por minuto.

TAVRN confunde os sinais elétricos indo dos átrios para os ventrículos. Como resultado, tanto os átrios quanto os ventrículos batem no mesmo instante, ao invés de em sequência. Isso gera uma frequência cardíaca rápida, entre 120-250 batimentos por minuto. Apesar do batimento cardíaco ser tipicamente regular, o coração não está bombeando eficientemente. A maior parte dos pacientes de TAVRN não tem doenças cardíacas subjacentes .1

Taquicardia Atrial é uma ameaça a vida?

Taquicardias Atriais geralmente não ameaçam a vida, a não ser que se tenha um problema cardíaco adicional. Os sintomas podem variar em gravidade, e formas mais severas podem requerer tratmento com medicamentos ou ablação por cateter.

1Page RL, Joglar JA, Caldwell MA, et al. 2015 ACC/AHA/ HRS guideline for the management of adult patients with supraventricular tachycardia: a report of the American College of Cardiology/American Heart Association Task Force on Clinical Practice Guidelines and the Heart Rhythm Society. J Am Coll Cardiol 2016;67;e27–115.

Taquicardia Ventricular

Taquicardia ventricular causa a contração dos ventrículos antes que a câmara ventricular esteja completamente preenchida de sangue, prejudicando o fluxo sanguíneo para o corpo.

O que causa Taquicardia Ventricular?

Taquicardia ocorre em pessoas com anormalidades nas estruturas cardíacas. Se você já teve um infarto, por exemplo, a cicatriz formada no coração após o infarto pode causar vias elétricas anormais. Essas vias alternativas podem criar uma condução elétrica anormal dentro do coração, causando taquicardia ventricular.

Taquicardia Ventricular é perigoso?

Taquicardia Ventricular é um transtorno grave e requer tratamento imediato. Ela representa um grave perigo, pois pode evoluir para condições mais sérias que ameaçam a vida, como a Fibrilação Ventricular. Essa é uma condição na qual os ventrículos fibrilam, perdendo sua capacidade de bombear efetivamente o sangue do coração para o resto do corpo. Fibrilação ventricular é a principal causa de morte súbita. O óbito pode ocorrer se a frequência cardíaca normal não for reestabelecida em poucos minutos. 1

Como tratar Taquicardia Ventricular?

O tratamento regular de taquicardia ventricular inclui medicamentos que diminuem a frequência cardíaca. Pacientes de alto risco são tratados com um desfibrilador cardioversor implantável (DCI). Esse equipamento é inserido sob a pele do tórax, como um marcapasso, e ao detectar ritmos anormais, gera automaticamente um choque no coração para retornar ao ritmo normal.

Ablação por cateter vem sendo cada vez mais usada para algumas arritmias, para interromper os caminhos anormais que causam taquicardia. Com a tecnologia atual, o cardiologista que se especializa no tratamento de arritmias pode localizar com precisão os caminhos irregulares, permitindo que se elimine os sinais anormais que causam a taquicardia.

1http://my.clevelandclinic.org/services/heart/disorders/arrhythmia/sudden-cardiac-death

O que é Síndrome Wolff Parkinson White?

Síndrome Wolff Parkinson White ocorre quando existe um caminho secundário, ou auxiliar, dentro do coração que conduz sinais elétricos entre os átrios e ventrículos.

Neste caso, os seus sinais elétricos pulam o nó atrioventricular e usam esse caminho extra. Os sinais chegam aos ventrículos antes do normal e reverberam de volta ao átrio, causando batimento cardíaco muito rápido.

O que causa WPW?

A maior parte dos casos de Wolff Parkinson White são hereditários ou associados a defeitos cardíacos congênitos (presentes desde o nascimento) ou adquiridos.

WPW ameaça a vida?

A maior parte das pessoas com WPW não apresentam sintomas, mas em algumas pessoas pode ser extremamente perigoso e até representar um sério risco ou morte súbita.

Como tratar WPW?

Ablação por cateter é uma opção de tratamento em casos nos quais os sintomas de WPW colocam o paciente em risco de morte súbita. Ablação cardíaca pode eliminar os sintomas da desordem na maior parte dos casos (85%-95%), dependendo da localização do caminho auxiliar.1

1https://medlineplus.gov/ency/article/000151.htm

Os cateteres NAVISTAR® THERMOCOOL ®, EZ STEER® THERMOCOOL ®NAV, THERMOCOOL ® SF NAV e THERMOCOOL SMARTTOUCH ® Biosense Webster e acessórios relacionados são aprovados pela ANVISA e indicados utilização em mapeamento eletrofisiológico cardíaco (estimulação e gravação) à base de cateter e, quando utilizado em conjunto com um gerador de radiofrequência, para ablação cardíaca. Os cateteres NAVISTAR® THERMOCOOL ®, EZ STEER® THERMOCOOL ®NAV, THERMOCOOL ® SF NAV e THERMOCOOL SMARTTOUCH ® Biosense Webster fornecem informações da localização quando utilizados com o Sistema Carto® EP. Registro Anvisa: NAVISTAR® THERMOCOOL ®(RA: 80145901269), EZ STEER® THERMOCOOL ®NAV (RA: 80145901249), THERMOCOOL ® SF NAV (RA: 80145901399) e THERMOCOOL SMARTTOUCH ® (RA: 80145901380); Sistema Carto® 3 (RA: 80145901192)

Consulte o seu médico para saber se ablação por cateter é a melhor forma de tratamento para você. Assim como qualquer tratamento médico, resultados individuais podem variar. Somente um cardiologista ou eletrofisiologista podem dizer se a ablação é a forma mais apropriada de tratamento para você. Todo e qualquer medicamento deve ser prescrito por um médico capacitado